Apenas neste ano, foram registrados cerca de 185 mil casos de câncer de pele no país


Segundo levantamento da Secretaria de Saúde, a cada 48 horas, uma pessoa é internada para tratar o câncer de pele no DF.

Estamos chegando na época mais quente do ano, o Verão! Dias de sol, praia e piscina certamente marcam o fim e o início de ano de muitos brasileiros. E é justamente por essa maior exposição aos raios solares, que o mês de dezembro é dedicado à luta contra o câncer de pele.

Muitos não sabem, mas o câncer de pele é o tipo mais comum da doença no mundo, o Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima que, apenas neste ano, foram registrados cerca de 185 mil novos casos no país, o que corresponde a cerca de 30% de todos os tumores malignos notificados no Brasil.

Somente no Distrito Federal, de acordo com o mais recente levantamento da Secretaria de Saúde, entre janeiro e setembro deste ano, foram autorizadas 114 internações na rede pública, com o objetivo de tratar câncer de pele exclusivamente. Isso representa, aproximadamente, uma pessoa internada a cada dois dias. Acredita-se que este número ainda poderia ser maior, mas foi mascarado devido a pandemia do novo coronavírus.

LEIA TAMBÉM: CÂNCER DE PELE – SINTOMAS, CAUSAS E TRATAMENTO

No mesmo período do ano passado, a pasta registrou 212 internações, ou seja, 98 a menos do que em 2020 — queda de 46%. De acordo com o oncologista do Instituto do Câncer de Brasília (ICB), Caio Guimarães Neves, a redução na quantidade de internações, contudo, não significa que o câncer de pele vem atingindo menos pessoas.

“Notamos que diminuiu, mesmo, a procura. Mas isso não se deve porque estão diminuindo os números de câncer de pele, mas porque estamos numa pandemia. Temos de lembrar que é o câncer mais incidente tanto em homens quanto em mulheres”, alerta.

Câncer de Pele - Sintomas, Causas e Tratamento

Os tipos de câncer de pele

  • Basocelular – 70% dos casos
  • Espinocelular – 25% dos casos
  • Melanoma – 5% dos casos

Tanto o basocelular como o espinocelular são cânceres de baixa agressividade. O tratamento é cirúrgico e resolvido mais facilmente. Já o melanoma tem alto índice de metástase e alta letalidade. É um dos cânceres mais agressivos, e se não for diagnosticado muito rapidamente, as chances de cura são mínimas.

Sintomas e prevenção do Câncer de Pele

Existem dois grupos de câncer de pele:

O mais temido é o melanoma, que é uma lesão que dá metástase de forma rápida. Se a pessoa nota uma pinta escura, com bordas irregulares, diâmetro maior do que 5mm, já é ideal procurar um dermatologista para fazer análise.

Além desse tipo, há os carcinomas (basocelular e espinocelular), que são feridinhas que nunca se resolvem, não cicatrizam. Os dois têm influência do sol, da radiação ultravioleta em excesso.

Além da exposição aos raios solares, o fator genético também pode influenciar no desenvolvimento do câncer de pele. Se a pessoa tem histórico de casos na família, é importante ter uma rotina mais frequente de acompanhamento.

Use Protetor solar!

Conforme o oncologista Caio Neves, pessoas de pele clara são mais propensas a desenvolver câncer de pele. Contudo, a necessidade do uso do protetor solar vale para todos. “Tem de ser usado diariamente, mesmo se a pessoa não for à praia, não for à piscina”, destaca.

Use protetor solar!


Compartilhe este artigo! A informação salva vidas!

LEIA TAMBÉM: HÁBITOS QUE AJUDAM A PREVENIR O CÂNCER

Referências:

  1. A cada 48h, uma pessoa é internada para tratar câncer de pele no DF. Metrópoles. Disponível em: https://www.metropoles.com/distrito-federal/saude-df/a-cada-48h-uma-pessoa-e-internada-para-tratar-cancer-de-pele-no-df