Câncer de Estômago – Sintomas, Causas e Tratamento


Saiba mais sobre o Câncer de Estômago – Veja quais são os principais sintomas, as causas e as formas de tratamento.

Também chamado de câncer gástrico ou câncer estomacal, o tumor que acomete o estômago é relativamente comum. A doença está na terceira posição entre os cânceres mais frequentes em homens e o quinto em mulheres. Dados do INCA – Instituto Nacional de Câncer apontam que, a cada ano, 20 mil novos casos são diagnosticados no país.

Existem três tipos diferentes de câncer de estômago, são os seguintes:
Adenocarcinoma: representa 95% dos casos e afetam as células secretoras, assim, pode se desenvolver em qualquer parte do corpo;
Linfoma: muito menos frequentes, com apenas 3% dos casos, sendo que ataca as células que pertencem ao sistema linfático;
Leiomiossarcoma: ainda menos comum, representando só 2% dos casos e acomete os tecidos que originam músculos e ossos.

Sintomas do Câncer de Estômago

Esse é mais um câncer difícil de diagnosticar, uma vez que os seus sintomas podem ser confundidos com uma série de outros problemas de saúde. Nesse sentido, o mais comum é que os sinais levem o enfermo a pensar que tem uma condição como úlcera, gastrite e demais doenças gástricas.

Além disso, em estágio inicial pode nem sequer apresentar sinais. Já entre os sintomas, quando aparecem, é possível citar os seguintes:
• Sensação de inchaço depois de comer;
• Sensação de saciedade, mesmo depois de comer pouco;
• Forte indigestão e azia que se torna persistente;
• Enjôos e vômitos persistentes sem motivo aparente;
• Dor de estômago;
• Perda de peso sem motivo aparente;
• Cansaço em excesso.

Embora menos comuns, outros sinais do câncer de estômago são os seguintes:
• Vômito com sangue;
• Sangue nas fezes;
• Fezes pastosas e/ou escurecidas;
• Fezes com cheiro muito forte.

Se apresentar sintomas que possam estar relacionados ao câncer de estômago, marque uma consulta com um médico, que investigará mais a fundo estes sinais. Para realizar um diagnóstico mais completo, o médico pedirá alguns exames específicos, como a endoscopia e exames de imagem, especialmente raios-X e tomografia computadorizada. A descoberta da doença em estágio inicial aumentará muito as chances de cura.

Causas do Câncer de Estômago

Embora não se saiba a exata origem do problema, sabe-se que existe uma relação forte com a infecção pela bactéria Helicobacter pylori. Esse problema também causa alguns tipos de úlceras e gastrites.

Além disso, foi comprovado ainda que uma alimentação com sal em demasia também aumenta as chances de desenvolver a doença. O mesmo pode ser dito do consumo em excesso de alimentos defumados, processado, embutidos e em conserva.

Outros fatores de risco são os seguintes:
• Alimentação pobre em legumes e frutas;
• Ingerir alimentos contaminados devidos à má conservação;
• Histórico familiar;
• Inflamações longas no estômago;
• Anemia perniciosa;
• Tabagismo;
• Pólipos do estômago (massas de células que se formam no revestimento interno do estômago).

Esses fatores de risco podem levar a mutações do DNA, que fazem com que as células cancerígenas se desenvolvam e se multipliquem de maneira bastante rápida. Já as células cancerosas reunidas é o chamado tumor, que pode se espalhar para outras partes do corpo.

Tratamento para Câncer de Estômago

O fator mais relevante na hora de escolher o melhor tratamento para o câncer de estômago é o estágio da doença. Quando possível, o procedimento cirúrgico para remover o tumor é o tratamento escolhido pelo especialista.

No entanto, é possível combinar tratamentos, nesse caso, outras opções são as sessões de radioterapia e de quimioterapia. Em geral, elas ajudam a reduzir os sintomas do câncer, bem como evitar que ele retorne após ser removido. O tratamento pode evitar ainda que ele se espalhe.

Se isso acontecer, o câncer de estômago pode migrar para o pâncreas, fígado e outros locais próximos. Quando diagnosticado no início, as chances de cura são maiores, por isso, é importante buscar ajuda médica sempre que os sintomas que o indiquem persistirem.