Câncer de Pele – Sintomas, Causas e Tratamento


Saiba mais sobre o Câncer de Pele – Veja quais são os principais sintomas, as causas e as formas de tratamento.

De acordo com dados do INCA – Instituto Nacional do Câncer, o tipo que mais afeta os brasileiros, tanto homens quanto mulheres, é o Câncer de Pele. Para se ter uma noção, cerca de 25% dos casos de câncer do corpo humano, são de pele. Ele costuma aparecer após os 40 anos, já em crianças e pessoas negras a incidência da doença é muita baixa. Além disso, o Câncer de Pele quando diagnosticado precocemente possui alta chance de cura.

Existem diferentes tipos de câncer de pele e os principais são: carcinoma basocelular (CBC), carcinoma espinocelular (CEC) e melanoma. A boa notícia é que os mais frequentes são os não-melanoma, que também são os que possuem baixa mortalidade. Além disso, o CBC, embora mais comum que o CEC, é menos agressivo.

Já o CEC, além de agressivo, cresce mais rápido que o CBC. Enquanto isso, o melanoma apresenta maior perigo, podendo invadir qualquer órgão e, assim, se espalhar por todo o corpo. Já os demais tipos são também mais raros, como os seguintes:
• Sarcoma de Kaposi;
• Tumor de células de Merkel;
• Carcinoma sebáceo;
• Carcinoma anexial microcístico;
• Linfoma de cutâneo de células T.

Os Sintomas do Câncer de Pele

Os sintomas do câncer de pele variam conforme o seu tipo, dessa forma podemos dividi-los da seguinte maneira:

Carcinoma basocelular: afeta principalmente o pescoço, rosto e demais partes do corpo mais expostas ao sol e tem os seguintes sintomas:
• Aparência pouco diferente da pele normal;
• Surgimento de protuberância (nódulo) com aspecto perolado;
• Nódulo ganha cores marrom, bege, rosa claro ou branco;
• Sangramento do nódulo;
• Nódulo se assemelha a uma ferida que não cicatriza;
• Nódulo pode ganhar crosta e vazar líquido.

Carcinoma espinocelular: também atinge regiões mais expostas ao sol, mas nesse caso, principalmente a orelha e o couro cabeludo, além do dorso das mãos, pescoço, boca e até mesmo nos genitais. Já os sintomas são os seguintes:
• Aparecimento de mancha ou caroço (nódulo);
• Pele enrugada;
• Alterações da pigmentação da pele;
• Perda de elasticidade da pele;
• Local ganha cor avermelhada;
• Pele fica com aparência endurecida;
• Descamação da pele;
• Surgimento de crostas, da quais podem sair líquido;
• Semelhança com uma ferida que não cicatriza.

Melanoma: embora o mais comum seja aparecer nas pernas e braços das mulheres e no dorso dos homens, pode ainda afetar as orelhas, olhos, trato gastrointestinal, genitais e membranas mucosas. Os sinais são os seguintes:
• Surgimento de mancha ou se manifesta em uma pinta existente;
• Pele ganha pigmentação diferenciada do restante;
• Coceira no local;
• Sangramento;
• Falta de cicatrização.

O dermatologista está na linha de frente na prevenção, diagnóstico, tratamento e acompanhamento do problema. Fazer exames de rotina com um dermatologista pelo menos 1 vez por ano é a melhor forma de se prevenir contra a doença.

O câncer de pele varia muito na aparência. Alguns podem mostrar todas os sintomas, enquanto outros podem ter apenas um ou dois. Por isso, como regra geral, qualquer novo sinal na pele ou mudança em uma pinta/mancha que já existia deve servir de alerta para procurar um dermatologista. Existe uma regra didática para pacientes, chamada ABCD, cujo objetivo é reconhecer um câncer de pele em seu estágio inicial:

• Assimetria: imagine uma divisão no meio da pinta e verifique se os dois lados são iguais. Se apresentarem diferenças deve ser investigado;
• Bordas irregulares: verifique se a borda está irregular, serrilhada, não uniforme;
• Cor: verificar se há várias cores misturadas em uma mesma pinta ou mancha;
• Diâmetro: veja se a pinta ou mancha está crescendo progressivamente.

Causas do Câncer de Pele

O câncer de pele é caracterizado pelo crescimento descontrolado e anormal das células da pele. A causa é desconhecida, mas não os fatores de risco, que incluem os seguintes:
• Exposição solar sem os devidos cuidados;
• Idade avançada, já que quanto mais idade mais exposição ao sol já teve;
• Mesmo que a diferença seja pouca, afeta mais os homens;
• Peles brancas, que são mais sensíveis ao sol;
• Olhos e cabelos claros;
• Albinismo;
• Sardas pelo corpo;
• Histórico familiar;
• Sistema imune fraco;
• Pacientes com leucemia ou linfoma;
• Pacientes que usam remédios que suprimem o sistema imune;
• Quem passou por transplantes de órgãos.

ATENÇÃO: A exposição solar em pessoas com a pele, cabelos e olhos claros deve ser feita sempre com filtro solar. Pessoas com essas características e que tomam muito sol ao longo da vida sem a proteção adequada têm um risco maior em desenvolver a doença.

Tratamentos para Câncer de Pele

Embora o mais indicado seja a cirurgia para remover o tumor, nem sempre isso é possível, devido à condição do paciente, como idade avançada. Além disso, há casos que mesmo com a cirurgia é preciso adotar outros métodos para evitar o retorno do câncer. Para tanto, é possível adotar outros tratamentos, dependendo ainda do tipo de tumor. São eles:
• Medicamentos;
• Quimioterapia;
• Cauterização;
• Terapia fotodinâmica;
• Crioterapia;
• Laser;
• Curetagem.

Fique à vontade caso queira relatar histórias de amigos ou familiares que já sofreram com o Câncer de Pele, para isso basta deixar um comentário logo abaixo. Estamos juntos nessa. Vamos vencer essa doença!