Estudo diz que mulheres com gengivite crônica têm 14% mais chances de ter câncer


Mulheres com gengivite crônica têm mais chances de ter câncer, especialmente do esôfago.

As mulheres que estão na menopausa e que ao mesmo tempo sofrem infecção crônica na gengiva têm 14% mais chance de desenvolver um câncer, especialmente do esôfago, que é mais de três vezes mais frequente neste grupo, mostra um estudo publicado nesta terça-feira (01.08.2017).

Os pesquisadores, cujo trabalho foi publicado na conceituada revista médica Cancer Epidemiology, Biomarkers and Prevention, também constataram que essas mulheres tinham um risco significativamente maior de câncer de pulmão, mama, vesícula biliar e melanoma, um tumor de pele agressivo.

O estudo foi realizado entre os anos de 1999 a 2013. Participaram mais de 65 mil mulheres entre 54 e 86 anos que responderam a um questionário sobre a sua saúde durante um período de acompanhamento de oito anos, em média.

Estudos anteriores já haviam sugerido que as pessoas com doença periodontal eram mais propensas a desenvolver certos tipos de câncer. Mas este estudo é o primeiro a se concentrar especificamente sobre esta infecção crônica das gengiva para todos os tipos de câncer em uma população de mulheres mais velhas, diz Jean Wactawski-Wende, principal autor do estudo e pesquisador da faculdade de saúde pública da Universidade do Estado de Nova York, em Buffalo.

No entanto, serão necessário mais estudos para determinar exatamente como a doença periodontal pode provocar e aumentar as chances de desencadear o surgimento do câncer, diz o cientista. De acordo com uma hipótese, as bactérias da placa bacteriana ou saliva poderia acabar na corrente sanguínea.

O maior risco de câncer de esôfago pode ser explicado pela sua proximidade com a boca, afirma Wactawski-Wende. Ele explica que a doença periodontal afeta o dente e destrói os tecidos de apoio, como gengiva e ossos. Esta patologia é bastante lenta e evolui ao longo de várias décadas. Consultar um dentista e tratar dos problemas bucais é a melhor forma de prevenção.

Cuidar da boca também é cuidar da saúde.

ATENÇÃO: Este artigo serve apenas para fins informativos e não se destina a fornecer assistência médica.