Exame de sangue específico pode detectar câncer precocemente


Cientistas americanos criam exame de sangue que pode ser capaz de detectar o câncer precocemente.

Mais uma notícia que deve ser comemorada! Cientistas do Centro Kimmel para o Câncer, da Universidade Johns Hopkins, EUA, desenvolveram um teste que dizem ser capaz de detectar mesmo pequenas quantidades de DNA específico da doença, tendo usado-o para identificar de forma acurada mais de metade dos casos de 138 pessoas que estavam com câncer colorretal, de mama, pulmão ou ovário em estágios iniciais.

O exame tem a capacidade de distinguir o DNA liberado pelos tumores de outros trechos de DNA que podem erroneamente serem identificados como biomarcadores da doença. Artigo sobre a pesquisa, feita no sangue e em amostras de tecidos de tumores de 200 pessoas com câncer em diversos estágios nos EUA, Dinamarca e Holanda, foram publicados nesta quarta-feira 16.08.2017 no periódico científico “Science Translational Medicine”.

Exames de sangue para o câncer são um aspecto crescente da oncologia clínica, mas eles ainda estão em fase de desenvolvimento. Para encontrar pequenos trechos de DNA derivados dos tumores no sangue dos pacientes, os cientistas frequentemente têm se baseado em alterações no DNA encontradas em amostras de tumores biopsiados dos próprios pacientes para guiar a busca pelos erros genéticos entre as enormes quantidades de DNA circulantes no sangue. Mas para criar um teste de câncer que pudesse ser usado em pessoas aparentemente saudáveis, os cientistas tiveram que encontrar novas maneiras de detectar alterações no DNA que poderiam estar escondidas em seu sangue e ainda não foram identificadas.

Não seria ótimo fazer um exame de sangue específico anualmente e com ele descobrir a doença em fase inicial? Imagina quantas vidas seriam salvas!

Para desenvolver no novo teste, Velculescu e sua equipe obtiveram amostras de sangue de 200 pacientes com câncer de mama, pulmão, ovário e colorretal. Eles então procuraram nas amostras mutações em 58 genes que já foram amplamente associadas a diversos tipos de câncer. No geral, os cientistas conseguiram detectar 86 de 132 (62%) dos casos de câncer nos estágios I e II, os iniciais. Além disso, o exame não apontou quaisquer mutações ligadas ao câncer em amostras adicionais de 44 indivíduos saudáveis.

Mas apesar destes resultados iniciais promissores, os cientistas tiveram que validar os achados de seu exame. Assim, Velculescu e equipe realizaram o sequenciamento genético de tumores removidos de cem dos 200 pacientes testados, mostrando que em 82 (82%) as mutações em seus tumores se correlacionaram com as alterações genéticas encontradas no sangue.

Agora é torcer para que os resultados nos testes se tornem melhores e que tal exame comece a ser testado em larga escala.

Link da notícia original: https://extra.globo.com/noticias/saude-e-ciencia/cientistas-criam-exame-de-sangue-capaz-de-detectar-cancer-precocemente-21714582.html