Obesidade aumenta o risco de 14 tipos de câncer, segundo estudo sobre a doença.


Até 2025, o Brasil terá 29 mil casos de câncer associados à obesidade. Entre os tipos da doença mais frequentes estão o câncer de mama, o de cólon e reto, de útero, da vesícula biliar, do rim, fígado, ovário, próstata, mieloma múltiplo, esôfago, pâncreas, estômago e tireoide.

Um estudo feito pelo Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), em parceria com pesquisadores da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, chegou a conclusão que até o ano de 2025, o Brasil terá cerca de 29 mil novos casos de câncer associados à obesidade. A pesquisa publicada na revista científica “Cancer Epidemiology” revela que esse número vai corresponder a 5% do total de casos no país.

De acordo com o estudo, 14 tipos de câncer estarão associados à obesidade, são eles: o de mama na pós-menopausa, o de cólon e reto, de útero, da vesícula biliar, do rim, fígado, ovário, próstata, mieloma múltiplo (células plasmáticas da medula óssea), esôfago, pâncreas, estômago e tireoide.

LEIA TAMBÉM: Cientistas descobrem a relação entre o açúcar e o câncer. Vejam!

As mulheres serão as maiores vítimas, atingidas pelo câncer de mama (5 mil casos), colo de útero (2 mil) e cólon (700). Nos homens, a maior incidência constata no estudo foi o câncer de cólon (1 mil), de próstata (900) e fígado (650).

Ainda com base no que foi observado na pesquisa, os estados brasileiros com maior número de pessoas com a doença associada à obesidade foram São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul.

Para Leandro Fórnias Machado de Rezende, um dos pesquisadores do estudo, a magnitude de casos de câncer relacionados à obesidade é alarmante e deve fazer parte do planejamento de prevenção do governo. Ele acredita que se o problema não for enfrentado com seriedade, em breve, o excesso de peso será a principal causa de câncer no Brasil e no mundo.

LEIA TAMBÉM: Obesidade x Câncer – 40% dos registros de Câncer nos EUA estão relacionados a obesidade

A informação salva vidas. Compartilhe este artigo!