Será que a cura do Câncer está mais próxima?


Vamberto Luiz de Castro, de 62 anos, com linfoma não Hodgkin de alto risco passa não apresentar sinais da doença em apenas 20 dias de tratamento individualizado.

Quando falamos sobre tratamentos contra o câncer pensamos logo em quimioterapia e na radioterapia, mas uma nova forma de tratamento totalmente individualizada está em testes no Brasil e se chama CAR-T, o método é personalizado e associa a imunoterapia à engenharia genética.

Vamberto Luiz de Castro, mineiro, de 62 anos, é o primeiro paciente a receber um tratamento individualizado contra câncer. O tratamento consiste na técnica mais arrojada já empregada na oncologia e foi totalmente desenvolvido no Brasil.

Ao contrário dos medicamentos disponibilizados para o tratamento do câncer atualmente, cada dose do tratamento individualizado é customizada para um único paciente e, para isso, há uma logística altamente complexa. Atualmente, somente o Centro de Terapia Celular (CTC-FAPESP-USP) do Hemocentro de Ribeirão Preto, ligado ao Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, unidade da Secretária de Estado da Saúde, desenvolve a medicação no Brasil. No momento, eles só são capazes de realizar um tratamento por vez. Mas há expectativa para ampliação dessa capacidade muito em breve.

LEIA TAMBÉM: TIPOS DE TRATAMENTO CONTRA O CÂNCER

O caso de Vamberto Luiz de Castro

Vamberto Luiz de Castro Tratamento Individualizado Câncer

Ele foi diagnosticado com linfoma não Hodgkin de alto risco, um câncer hematológico grave, há aproximadamente dois anos. Entre setembro de 2017 e junho deste ano, foi submetido a quatro tratamentos diferentes, sem sucesso. A nova terapia era sua última esperança. Em menos de 20 dias após o início da tratamento, ele não apresenta mais sinais da doença.

“Tratando-se de câncer, ainda é cedo para dizer que ele está curado, mas ele não apresenta mais sinais da doença e era um paciente que já estava em cuidados paliativos”, diz o hematologista Dimas Tadeu Covas, coordenador do Centro de Terapia Celular (CTC) do Hemocentro do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto (HCRP) da Universidade de São Paulo.

Em menos de 20 dias com tratamento individualizado para o câncer, exames mostraram que as células cancerígenas desapareceram. Os sintomas – suores noturnos, perda de peso e nódulos no pescoço – e as dores também sumiram. Vamberto era um paciente que precisava de morfina para controlar as dores e tinha nódulos grandes pelo corpo todo. O resultado do tratamento foi incrível e muito comemorado! Vamberto ainda será acompanhado por pelo menos 10 anos para verificar se houve real cura da doença.

Como é feito o tratamento individual (CAR-T) para o Câncer?

Primeiro passo é extrair uma amostra de 200 mililitros de sangue do doente. A partir deste material, separam-se os linfócitos T, as células que comandam a sinfonia do sistema imunológico. Em laboratório, essas células são alteradas de modo a receber um receptor, o CAR, uma partícula desenhada para se dirigir a um alvo específico — no caso, o CD19, uma molécula encontrada na superfície das células com linfoma não Hodgkin de alto risco e também outros tipos de tumores, como a leucemia linfoide aguda.

O segundo passo é fazer com que os linfócitos T, já com o CAR (transformado em CAR-T, portanto), se multipliquem. Quando injetados de volta na corrente sanguínea, essas células poderosas continuam a se multiplicar e passam a fazer parte do sistema de defesa do organismo. Os novos linfócitos são treinados para reconhecer e matar especificamente as células cancerígenas. Em poucos dias, o câncer desaparece.

LEIA TAMBÉM: CÂNCER DE MAMA INFLAMATÓRIO – CONFIRA OS SINTOMAS E SAIBA MAIS SOBRE O ASSUNTO

Custo do Tratamento Individualizado para o Câncer

Este é o grande problema deste tipo de tratamento, pois ele não é nada barato. O custo do tratamento desenvolvido no Brasil varia entre 50.000 e 100.000 reais. A expectativa é que o CAR-T desenvolvido pelo CTC seja disponibilizada no SUS, no futuro. Mas antes disso acontecer, são necessários testes clínicos fases I,II e III e aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).


E aí, não é animador? Vamos torcer para que a Cura desta doença maldita seja descoberta e dar esperança para aqueles que precisam!

Fonte da notícia original e maiores informações sobre o CAR-T: https://veja.abril.com.br/saude/cancer-o-primeiro-tratamento-100-individualizado-e-feito-no-brasil/