Tumor benigno e maligno. Quais são as diferenças?


Veja quais são as principais diferenças entre tumores benignos e tumores malignos.

A palavra câncer sempre provoca mal estar, já que está associada a uma doença que, muitas vezes, pode ser fatal. No entanto, é importante entender que nem sempre é motivo de desespero. Primeiro, é necessário entender que existem tumores benignos e tumores malignos e que se chama de câncer apenas os malignos.

No entanto, isso não quer dizer que só os malignos precisam ser tratados, isso vai depender de cada paciente, do tipo de tumor, onde ele se desenvolveu e o seu poder de se alastrar para outras partes do corpo. Por isso, é sempre importante buscar ajuda médica e obter um diagnostico preciso, bem como seguir o tratamento indicado.

O que é o câncer?

Para entender a diferente entre os tipos de tumores, é importante primeiro saber como eles se desenvolvem. Basicamente, é possível dizer que ocorre quando há um crescimento anormal de células, em qualquer tecido do organismo. Ou seja, o normal é que as células nasçam, exerçam as suas funções e, depois de um tempo, morrem, dando lugar a novas células.

No entanto, por algum motivo, que a medicina não sabe explicar com exatidão, um conjunto de células morre e continua ocupando espaço, o que dá origem ao tumor, que é um acúmulo de tecido inútil. As causas mais prováveis para essa anomalia pode ser divida em três tipos de agentes:

• Agentes biológicos: vírus e bactérias e vírus;
• Agentes químicos: contato com produtos tóxicos, como o tabagismo;
• Agentes físicos: exposição à luz solar

Diferença entre tumor benigno e maligno

Já a diferença entre tumores malignos e benignos está, principalmente, nas características que possuem, as quais são responsáveis pela forma como agem no corpo. Assim, o tumor benigno é formado por células bem semelhantes às demais, sendo que a sua capacidade de se alastrar pelo organismo, a chamada metástase, é menor.

Enquanto isso, os tumores malignos são bastante agressivos, crescendo de modo descontrolado. Isso porque os oncogenes, que controlam a divisão celular, sofrem uma mutação, perdendo a sua função e deixando que as células cancerígenas se multipliquem.

Já a necessidade de tratamento depende de cada caso. Mas em geral é possível dizer que o tumor benigno é facilmente tratado e curado com cirurgia. Já no caso do maligno, pode haver necessidade de mais de um tipo de tratamento, assim, além de sua remoção, o paciente pode ter que fazer quimioterapia e/ou radioterapia, dependendo do grau metástase da doença.

Principais tipos de tumores benignos

Os mais comuns são os seguintes:

• lesões de pele;
• pólipos intestinais;
• fibromas de mama e de órgãos ginecológicos;
• próstata.

Caracterizam-se em muitos casos por protuberâncias, como os nódulos, uma vez que as células que sofreram mutação mantem-se como aprisionadas em uma parte de tecido. Por isso, não migram para os demais tecidos do corpo.

Principais tipos de tumores malignos

• pele;
• mama;
• cólon uterino;
• pulmão;
• próstata.

Nesses casos, as células cancerígenas são muito diferentes das demais, sendo que elas se replicam em alta velocidade. Além disso, possuem a vantagem de serem desenvolvidos vasos ao seu redor que as nutrem, dando força ao tumor.

Assim, além de cirurgia, quando for viável, o tratamento pode ter que ser complementado com quimioterapia ou radioterapia, inclusive, quando há risco do tumor voltar mesmo depois que ele é removido. O mesmo pode acontecer quando não se pode retirá-lo por completo durante o procedimento cirúrgico.

Fique à vontade caso queira relatar histórias de amigos ou familiares que já passaram por algum tipo de tratamento contra o câncer, para isso basta deixar um comentário logo abaixo. Estamos juntos nessa. Vamos vencer o câncer!